Gruta Azul

'Usou Deus para poder abusar da gente', diz mulher que acusa pastor de abuso sexual em Pantano Grande

Por Ge do Poa em 08/10/2021 às 13:39:30

Homem de 38 anos prestou depoimento à Polícia Civil e foi liberado. Ele nega o crime. Marido de jovem de 26 anos denunciou à Brigada Militar que pastor teria tocado nas partes íntimas dela sob pretexto de fazer uma "unção com óleo sagrado". Polícia investiga pastor suspeito de abusar sexualmente de fiel em Pantano Grande

Um pastor de 38 anos é investigado pela Polícia Civil por abusar sexualmente de fiéis na cidade de Pantano Grande, na Região Metropolitana de Porto Alegre. Sob o pretexto de que era para "mandar todo o mal embora", ele fazia a "unção do óleo sagrado" para poder tocar nas partes íntimas das mulheres. Uma delas, de 26 anos, conversou com a RBS TV.

"Ele usou a Deus para poder abusar da gente", afirmou a mulher, que falou sob condição de anonimato.

Ela conta que o religioso foi um dia até a sua casa, orou pela sua filha, que tem 1 ano e 7 meses de idade e estava no colo da mãe. Depois, disse para ela deixar a bebê e ir para o quarto, pois queria rezar com ela.

"Aí, ele chegou do nada, baixou as minhas calças e mandou eu me deitar e disse: 'por favor, abre bem as pernas pra mim poder te olhar'. Eu fiquei em estado de choque em cima da cama. Ele disse assim: 'Tu é muito linda?'. Passou o óleo na minha barriga, tudo. Começou a me beijar, levantou, claro, a minha blusa, sutiã, tudo, né. E daí foi descendo, me beijando, me beijando, me beijando até a minha virilha, e aí eu fiquei paralisada" relata.

Ela diz que, nesse momento, puxou a sua roupa, o pastor deu um abraço nela e foi embora.

Polícia investiga pastor suspeito de abusar sexualmente de fiel em Pantano Grande

PUBLICIDADE

GRUTA AZUL


"Aí, eu liguei pra outra menina, em estado de choque. Eu disse 'corre aqui porque ele teve aqui e eu preciso de ajuda". Eu perguntei pra ela: 'também acontece contigo, isso que ele faz, quando tu entra no quarto sozinha com ele?'. Ela me disse que sim, que acontecia. Ele usou Deus pra poder abusar da gente, né", conta.

Vítima contou à RBS TV como o pastor cometeu o abuso

O plano para flagrar o abusador

Na última quarta-feira (6), de acordo com a Polícia Civil, a vítima deixou um celular escondido ligado em videochamada com a família dela, que aguardava próximo à residência. As imagens mostram o homem entrando no quarto e despindo ela. Nesse momento, o marido da vítima entra no quarto, empurra o pastor e liga para a Brigada Militar (BM). Ele foi detido, mas negou o crime à Polícia Civil, razão pela qual foi liberado em seguida.

O crime se enquadra como violação mediante fraude. Ou seja, o pastor usaria do seu ofício para enganar as mulheres e poder tocá-las.

Pastor suspeito de abuso sexual contra fiéis em Camaquã deixa prisão em liberdade condicional

"A gente vai verificar se há outras mulheres que relatem essa situação. Houve o registro de ocorrência de violação mediante fraude. Ele supostamente teria enganado a pessoa, dizendo que iria abençoá-la, e tocado ela", afirma o delegado Anderson Faturi, responsável pela investigação.

Nos próximos dias, o delegado espera ouvir novas testemunhas. O inquérito tem prazo de 30 dias para ser concluído.

O que diz a defesa do pastor

O advogado que defende o pastor, e que não quis ser identificado, se manifestou por meio da nota abaixo. Leia a íntegra:

"O pastor está sendo vítima de armação de pessoas mal-intencionadas, todas do mesmo núcleo familiar, que fizeram denúncia caluniosa, com o intuito de extorquir financeiramente o mesmo. Tanto que propuseram resolver a situação sem a polícia, o que não foi aceito pelo pastor.

O fato é que, a pedido dela, o pastor estava realizando procedimento de unção com óleo, prática normal da fé, e jamais tocou em partes íntimas de ninguém.

Tanto é, que, após a análise das provas, o Delegado liberou o acusado menos de uma hora depois, pois não havia elementos suficientes para confirmar a versão da suposta "vítima", e sequer foi cogitada a acusação de estupro, e sim acusação de importunação sexual, o que o pastor repudia veementemente.

A investigação segue, e o pastor é o primeiro interessado na conclusão dos fatos, pois sua imagem foi e segue sendo abalada de forma caluniosa. Juntamente com sua família, e todas as pessoas que confiam nele, está confiante na justiça dos homens e na justiça de Deus, para que a verdade total venha à tona o mais breve possível".

PUBLICIDADE

Prêmios, Sorteios e Surpresas esperam por você no mês de Nosso Aníversário



Comunicar erro
Dill Pedras

Comentários

Gruta Azul