casa da linguiça
sheik
Londres

URGENTE: Hospitais de Londres registram 'tsunami' no número de pacientes que chegam infectados aos hospitais

Hospitais de Londres registram explosão no número de pacientes de coronavírus em estado grave, desde as últimas horas.

27/03/2020 13h21Atualizado há 2 meses
Por: Redação
439

Em Londres, nas últimas horas, os hospitais públicos registraram uma explosão no número de pacientes em estado grave por conta do coronavírus.

Para piorar o cenário, diversos trabalhadores da área de saúde estão doentes e os hospitais terão de atuar com uma falta “sem precedentes” desses profissionais.

Há algo ainda mais grave: cerca de 70% dos ventiladores mecânicos do sistema de saúde do país já está sendo usado por pacientes com outras enfermidades. As informações foram divulgadas nesta quinta-feira (26) por um diretor do Serviço Nacional de Saúde britânico.

“Estamos observando um tsunami contínuo de pacientes gravemente enfermos em unidades de terapia intensiva (UTIs)”, declarou Chris Hopson do NHS (o SUS do Reino Unido) à rádio pública BBC.

O Reino Unido já registra 9,6 mil casos de infecção e mais de 460 mortes por causa do novo coronavírus, segundo cálculos da universidade americana Johns Hopkins.

Apenas nesta terça-feira (24) passaram a valer regras de isolamento em uma tentativa de conter a expansão do novo coronavírus. Os britânicos só podem se deslocar para ir ao trabalho, caso não possam realizá-lo remotamente, e para comprar itens essenciais ou para atender necessidades médicas próprias ou de pessoas vulneráveis.

Mudança radical de estratégia

O governo do Reino Unido foi muito criticado ao adotar, inicialmente, a estratégia de “mitigação” da pandemia e a “imunização de rebanho”, ou infecção de grande parte da população, que na teoria desenvolveria imunidade coletiva com o objetivo de proteger todos os cidadãos.

A estratégia visava “proteger a economia”, a exemplo do que o presidente Jair Bolsonaro e alguns empresários aliados defendem que se estabeleça no Brasil.

O primeiro ministro Boris Johnson só mudou de posição após ser confrontado com um modelo matemático apresentado pelo Imperial College de Londres. O estudo deu um panorama extremamente sombrio de como a doença iria se propagar pelo país, como iria impactar o sistema público de saúde e quantas pessoas iriam morrer.

Atualização. Uma leitora que mora no Reino Unido enviou o seguinte comentário:

“Aqui está havendo um ‘boom’ de infectados e o NHS não tem estrutura para lidar. Todos os outros países da Europa já tinham tomado medidas e UK foi o último. Vamos pagar o preço. Até sexta os metrôs estavam lotados, os parques, tudo. Só começaram a parar agora. E ainda não estamos [totalmente] proibidos de sair de casa, é apenas uma orientação do governo. Talvez se isso não resolver eles tenham que restringir ainda mais. Não vejo a hora desse pesadelo acabar, força pra todos nós!”

#poa24hs

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.